Lucro líquido da Via Varejo salta 98% para R$187 mi no 2º tri

terça-feira, 22 de julho de 2014 22:58 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Via Varejo, divisão de móveis e eletrodomésticos do Grupo Pão de Açúcar, praticamente dobrou o lucro do segundo trimestre, ajudada por um itens extraordinários não especificados.Entre abril e junho, o lucro líquido da dona das bandeiras Casas Bahia e Ponto Frio somou 187 milhões de reais, alta de 97,9 por cento na comparação anual. A geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) cresceu 50,8 por cento em igual base de comparação, a 493 milhões de reais.

O resultado trimestral foi impulsionado por impacto menor de "outras despesas e receitas operacionais", que ficaram negativas em 8 milhões de reais. No mesmo trimestre do ano anterior, a cifra havia sido negativa em 87 milhões de reais.

Em comentário de desempenho, a empresa não especificou as mudanças na linha, se limitando a dizer que o avanço do lucro líquido excluindo itens excepcionais de "outras despesas e receitas operacionais" seria 26,5 por cento, para 192 milhões de reais. A Via Varejo já havia anunciado alta de 8 por cento na receita líquida trimestral, a 5,5 bilhões de reais, em desempenho de vendas do GPA divulgado mais cedo neste mês. As vendas brutas em mesmas lojas, por sua vez, avançaram 5,7 por cento no período, em ritmo mais fraco que o avanço de 9,5 por cento registrado pelas lojas físicas da companhia no mesmo trimestre de 2013.

"O desempenho de vendas do segundo trimestre foi resultado principalmente das atividades promocionais do Dia das Mães e da Copa do Mundo. As categorias de destaque foram smartphones e televisores", disse a Via Varejo. Com o Brasil no 4o lugar da competição, a companhia se viu livre de potenciais custos associados à promoção da Casas Bahia que dava, em caso de vitória de seleção brasileira, a possibilidade de os clientes levarem uma TV de 51 polegadas pelo preço simbólico de 1 real caso tivessem comprado antes uma TV de 60 polegadas.No trimestre, as despesas gerais e administrativas caíram 5,7 por cento sobre um ano antes, enquanto a relação entre despesas com vendas e a receita líquida recuou 0,4 ponto percentual, ajudando a companhia a registrar ganho de margem operacional. A margem Ebitda do período subiu 2,5 pontos percentuais, a 8,9 por cento. Pelo critério ajustado, o avanço foi de 1 ponto percentual, a 9,1 por cento, ante 8,1 por cento no mesmo trimestre de 2013.

(Por Marcela Ayres)