Dilma se reúne com aliados e prega otimismo em relação à economia

terça-feira, 22 de julho de 2014 23:12 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff tentou disseminar otimismo em relação à economia na primeira reunião com os presidentes de partidos que compõem sua aliança para a reeleição em outubro, realizada nesta terça-feira no Palácio da Alvorada.

Segundo relato dos líderes presentes, Dilma ressaltou que, apesar das dificuldades da economia mundial, no Brasil ainda há geração de novos empregos, a renda ainda continua subindo e que esses fatores são mais importantes do que o baixo crescimento econômico.

"Nós estamos vivendo num momento de crise mundial e comparados a outros países, o Brasil ainda está melhor e isso será dito durante a campanha", afirmou à Reuters o presidente do PCdoB, Renato Rabelo.

Na saída do encontro, que durou aproximadamente duas horas, o vice-presidente da República, Michel Temer, tentou afastar os prognósticos de alguns economistas que acreditam em uma possível recessão técnica no país.

"Isso foi discutido, a questão da economia, e a marca foi de otimismo. Se não vamos ter PIB extraordinário, também não teremos PIB negativo", afirmou ele a jornalistas.

Nesta terça-feira, o governo reduziu suas estimativas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2014 para 1,8 por cento, ante 2,5 por cento. No mercado, já há estimativas de crescimento abaixo de 1 por cento.

Rabelo também falou que os aliados não acreditam na possibilidade de recessão, e foi traçado um quadro bastante otimista em relação à economia durante a reunião, inclusive por Dilma.

Na reunião também ficou acertado que os partidos que compõem a aliança de Dilma se reunirão ao menos quinzenalmente para debater as estratégias da campanha, mas inicialmente esses encontros terão periodicidade semanal.

"Esse fórum será o centro decisório da campanha", disse Rabelo.   Continuação...