Escala de navios para exportação de milho do Brasil cai 60% ante 2013

quarta-feira, 23 de julho de 2014 12:22 BRT
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO (Reuters) - A atual escala de navios para exportação de milho do Brasil está 60 por cento menor que na mesma época no ano passado, em meio a uma maior oferta global, que reduz a pressa dos compradores internacionais para adquirir o produto brasileiro.

No momento, há previsão de 35 navios saindo dos portos brasileiros com 1,8 milhão de toneladas, segundo dados de agências marítimas analisados pela Reuters. Um ano atrás, a escala previa 86 navios, com embarques de 4,5 milhões de toneladas.

Enquanto atualmente a programação inclui navios agendados para agosto, um ano atrás a escala já previa alguns embarques para outubro.

Em meados de 2013 o Brasil se preparava para colher a segunda safra da temporada 2012/13, que foi recorde, enquanto os Estados Unidos --maior exportador do produto-- ainda enfrentavam baixos estoques após uma devastadora seca que reduziu a colheita em quase um terço.

A situação do mercado atual é bem mais confortável, com uma safra recorde registrada nos EUA ao fim de 2013 e com o Brasil colhendo uma segunda safra da ordem de 80 milhões de toneladas.

"O milho brasileiro, até uma semana atrás, estava mais caro que o dos Estados Unidos", disse o analista de mercado Liones Severo, da consultoria Sim Consult, explicando o baixo volume de negócios fechados refletido na escala de navios.

Os preços do milho no mercado físico do Brasil, segundo o indicador Cepea/Esalq, acumulam queda de mais de 30 por cento desde a máxima do ano, no início de março. As cotações internacionais, por sua vez, estão em uma mínima de quatro anos na bolsa de Chicago.

"A realidade é que não está tendo interesse de venda por parte do produtor, mesmo ele sabendo que a tendência é de baixa", disse o diretor da Grãomar Corretora, João Claudio Pereira da Silva, do Paraná.   Continuação...