Mesmo com recurso extra do Refis, Receita não vê arrecadação crescendo mais em 2014

quarta-feira, 23 de julho de 2014 14:08 BRT
 

Por Luciana Otoni

BRASÍLIA (Reuters) - Mesmo com a expectativa de forte entrada de receitas extraordinárias em breve, o governo não vê a arrecadação crescendo mais do que o esperado neste ano, marcado pela fraca atividade econômica.

A Receita Federal manteve nesta quarta-feira sua projeção de crescimento real da arrecadação neste ano em 2 por cento, mesmo passando a incluir nas contas receitas extraordinárias de 18 bilhões de reais com o Refis, programa de parcelamento de débitos tributários.

"Houve redução (das expectativas) do PIB para o ano e aumento para 18 bilhões de reais na arrecadação do Refis... Tivemos ajustes para mais e para menos", disse o secretário-adjunto do órgão, Luiz Fernando Teixeira Nunes.

Na véspera, o governo reduziu para 1,8 por cento, ante 2,5 por cento, a previsão de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano. Até então, o governo achava que conseguiria levantar 15 bilhões de reais com o Refis em 2014. [nL2N0PX21Y]

A estimativa do governo para o desempenho da atividade, mesmo com a redução, continua acima do que esperam os agentes econômicos, cuja mediana em pesquisa Focus do Banco Central mostra expansão de apenas 0,97 por cento neste ano. Em 2013, o PIB brasileiro cresceu 2,5 por cento. [nL2N0PW0D6]

Nunes afirmou que o governo espera que de 13 bilhões a 14 bilhões de reais do Refis entre no caixa já em agosto, devido ao pagamento da primeira parcela que as empresas devem fazer para aderir ao programa. O volume deve ajudar o governo a melhorar seu resultado primário, que é a economia feita para pagamento de juros da dívida.

JUNHO   Continuação...