Natura vê recuperação de vendas no Brasil após ritmo fraco no 2o tri

quarta-feira, 23 de julho de 2014 20:28 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A empresa de cosméticos Natura enxerga um segundo semestre melhor para seus produtos no Brasil, após ter visto uma expressiva desaceleração das vendas no segundo trimestre, quando seu lucro líquido recuou mais de um quarto sobre igual período do ano passado.

"Acreditamos que tivemos trimestre incomum e que muitos desses fatores não se repetirão", afirmou o vice-presidente financeiro da companhia, Roberto Pedote, citando menor quantidade de dias úteis e custos pressionados pela desvalorização cambial e pelo baixo volume de vendas.

Em um trimestre em que as vendas líquidas no Brasil, seu principal mercado, avançaram apenas 1,8 por cento sobre um ano antes, a Natura viu o lucro líquido recuar 26,8 por cento, a 175,8 milhões de reais.

A geração de caixa medida pelo Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), por sua vez, somou 352,3 milhões de reais, recuo de 14 por cento sobre igual trimestre do ano passado.

As cifras ficaram abaixo das estimativas de analistas, que projetavam, em média, lucro líquido de 226,2 milhões e Ebitda de 424,4 milhões de reais em pesquisa da Reuters.

Em teleconferência com jornalistas nesta quarta-feira, o executivo afirmou que a companhia também viu piora da inadimplência no segundo trimestre e que está investindo em mais ações de cobrança para minimizar esse impacto.

"A gente tem visto que o pessoal está precisando fazer escolhas do que pagar e está mais difícil mesmo", comentou o executivo.

Diante de um cenário macroeconômico de curto prazo visto como desafiador, a Natura irá restringir a oferta de crédito a clientes com perfil "de quem está atrasando mais (o pagamento)", disse Pedote, completando que a companhia também está intensificando ações de cobrança.

Após novo aumento de preços em julho, na sequência de ajuste de 4 a 5 por cento praticado em março, a expectativa é de um "maior equilíbrio" na lucratividade na metade restante do ano, disse o vice-presidente financeiro da Natura.   Continuação...