LVMH sente aperto de demanda chinesa mais fraca e distúrbios em Hong Kong

sexta-feira, 25 de julho de 2014 09:17 BRT
 

PARIS (Reuters) - A LVMH viu uma queda na demanda de compradores chineses em seu mercado doméstico e no exterior, além de uma desaceleração em Hong Kong devido a agitações políticas, disse o grupo francês de luxo na quinta-feira, após divulgar vendas e lucros abaixo do esperado no segundo trimestre.

O maior grupo de produtos de luxo do mundo disse que o crescimento nas vendas da Louis Vuitton, sua galinha dos ovos de ouro, caiu na China no segundo trimestre ante o primeiro, enquanto a receita advinda de turistas chineses recuou em grandes mercados europeus como a França.

A Louis Vuitton, a maior marca de luxo em receita e que gera mais da metade do lucro operacional da LVMH, também vem enfrentando dificuldades para combater uma crescente percepção entre consumidores de mercados emergentes de que foi popularizada demais.

A marca vem tentando reconquistar consumidores e a exclusividade fortalecendo suas ofertas de ponta com produtos de couro e design sofisticado, mas seus esforços têm levado certo tempo para dar frutos.

O crescimento das vendas da marca no segundo trimestre despencou para zero ante 9 por cento nos três meses anteriores.

O crescimento das vendas da LVMH no segundo trimestre alcançou 3 por cento em uma base comparável, abaixo das estimativas de analistas de entre 5 a 6 por cento.

No primeiro semestre, o lucro operacional da LVMH com operações recorrentes alcançou 2,576 bilhões de euros (3,47 bilhões de dólares), uma queda de 5 por cento na comparação anual.

(Por Astrid Wendlandt)