Lula deve ser 1º campo unitizado à área da União no pré-sal, diz PPSA

sexta-feira, 25 de julho de 2014 19:49 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O campo petrolífero de Lula, na Bacia de Santos, deverá ser o primeiro incluído em um acordo de unitização de áreas não licitadas no pré-sal, disse nesta sexta-feira o presidente da estatal PPSA, Oswaldo Pedrosa.

A unitização ocorre quando uma reserva de determinada empresa extrapola para fora da área contratada. No caso, o óleo de Lula, operado pela Petrobras, vaza para uma área ainda não licitada pela União.

"Lula é o mais provável", afirmou ele a jornalistas, ao ser questionado sobre uma série de áreas possíveis de unitização no Brasil.

O presidente da PPSA, empresa criada para gerir a região do pré-sal, não deu nenhum prazo para a unitização de Lula, um dos campos mais importantes do país e pioneiros da nova fronteira petrolífera.

Ele também não deu detalhes sobre como seria feito o acordo para a exploração da área não licitada próxima de Lula.

Questionado se a União poderia optar por cessão de direitos de exploração para a Petrobras, numa contratação direta para beneficiar a estatal, ele afirmou que não vê necessidade agora, diante das grandes áreas que a empresa já tem para desenvolver no pré-sal.

Pedrosa afirmou ainda que a empresa pesquisa os volumes que excedem o total contratado em Lula.

Além de Lula, a PPSA avalia pelo menos seis casos que podem resultar em acordos de unitização.

O campo de Sapinhoá, também operado pela Petrobras, é outro que está em processo de unitização em estágio mais avançado, segundo Pedrosa.   Continuação...