JBS fecha compra de negócios de aves da Tyson Foods no Brasil e México por US$575 mi

segunda-feira, 28 de julho de 2014 08:03 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A empresa de alimentos JBS, maior processadora de carnes do mundo, fechou acordo para comprar os negócios de aves da norte-americana Tyson Foods no Brasil e no México por 575 milhões de dólares, em mais um passo na expansão da sua carteira de ativos no segmento.

Em fato relevante, a companhia informou nesta segunda-feira que 400 milhões de dólares referem-se à operação no México, que será adquirida pela Pilgrim's Pride, cujo acionista majoritário é JBS USA Holdings. Já a operação brasileira da Tyson será comprada por 175 milhões de dólares pela JBS Foods.

A investida reforça o investimento da JBS no segmento, após a brasileira adquirir duas unidades de processamento de aves do Grupo Céu Azul por 246 milhões de reais, neste mês. Recentemente, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica também aprovou a compra da indústria de alimentos Avebom, no Paraná, pela JBS.

Com a compra da Tyson de México, que conta com três unidades de processamento e 5.400 empregados, a Pilgrim's Pride estima uma geração adicional de receita de cerca de 650 milhões de dólares por ano.

Já a Tyson do Brasil deverá incrementar a receita anual da JBS Foods em cerca de 350 milhões de dólares, disse a JBS. Fundada em 2008, a empresa possui três unidades de processamento completamente integradas, sendo duas em Santa Catarina e uma no Paraná.

"Ao concluir a transação, a JBS e a Pilgrim's esperam manter as operações funcionando com a capacidade necessária para conservar a mão de obra empregada, preservando os contratos trabalhistas em ambos os países", afirmou a JBS.

O anúncio acontece pouco tempo depois de JBS e Tyson se enfrentarem na disputa pela aquisição da fabricante norte-americana de salsichas Hillshire Brands. A batalha foi encerrada no começo de junho, quando a Tyson propôs 8,55 bilhões de dólares pela Hillshire.

Em comunicado à parte, a Tyson Foods informou que a transação, que ainda está sujeita à aprovação das autoridades regulatórias, será paga em dinheiro, com expectativa de ser completada até o final deste ano.

"Embora estes sejam bons negócios com excelentes membros de equipe, não tivemos a escala necessária para ganhar participação de liderança nesses mercados", disse o presidente-executivo da Tyson Foods, Donnie Smith.   Continuação...