Lucro do Deutsche Bank avança com foco em banco de investimentos

terça-feira, 29 de julho de 2014 07:51 BRT
 

FRANKFURT (Reuters) - O plano do Deutsche Bank de se tornar "o último homem em pé" no segmento de banco de investimentos na Europa está funcionando, disse o banco nesta terça-feira, após ter divulgado avanço anual de 16 por cento em seu lucro trimestral antes de impostos.

Mas o espectro de disputas e acordos judiciais dispendiosos lançaram uma sombra sobre os resultados. O banco registrou 470 milhões de euros (631 milhões de dólares) em encargos trimestrais relacionados a litígios, e elevou reservas para litígios futuros em 22 por cento, para 2,2 bilhões de euros.

O Deutsche Bank enfrenta uma série de investigações que vão de acusações de manipulação da taxa de referência Libor a favorecimento injusto a alguns investidores. O banco já pagou mais de 5 bilhões de euros nos dois últimos anos em acordos e multas.

Em um novo capítulo da história, o Deutsche Bank afirmou ter recebido pedidos de informações de órgãos reguladores relacionados a operações de alta frequência, sendo nomeado réu em denúncias que alegam violações de leis norte-americanas de segurança relacionadas a operações de alta frequência.

Com a crescente ameaça de multas e custos com acordos judiciais e diante do ano de testes de estresse em bancos, o maior banco da Alemanha levantou 8,5 bilhões de euros em junho para fortalecer seu balanço.

O lucro do banco de investimentos contribuiu para a maior parte do lucro antes de impostos de 917 milhões de euros, com operações de negociação de dívida se mantendo estáveis, em contraste com o revés sofrido por seus rivais dos Estados Unidos.

O Deutsche Bank registrou receita líquida de 1,8 bilhão de euros com suas operações de negociação de dívida, que fazem parte de seu banco de investimentos, enquanto rivais viram uma queda de, em média, 9 por cento no trimestre.

Esperava-se que o Deutsche Bank divulgasse lucro antes de impostos de 590 milhões de euros, segundo a média de uma pesquisa da Reuters com 10 estimativas de analistas, que variaram de uma perda de 694 milhões de euros a ganho de 1,1 bilhão.

(Por Thomas Atkins e Arno Schuetze)