Chuvas reduzem ritmo de colheita de café dos cooperados da Cooxupé

terça-feira, 29 de julho de 2014 10:49 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A colheita de café dos cooperados da Cooxupé, maior cooperativa de cafeicultores do Brasil, avançou em um ritmo mais lento na última semana na comparação com períodos anteriores, em função de chuvas que atingiram as áreas produtoras.

Quando o tempo está chuvoso, a colheita de café é paralisada, com os produtores evitando colocar o grão no terreiro para secar em busca de uma melhor qualidade.

Até a semana terminada no dia 25 de julho, a colheita dos cooperados avançou para 64,6 por cento do total previsto para a atual temporada, informou a instituição nesta terça-feira.

A colheita teve um avanço de cerca de 5 pontos percentuais ante a semana anterior, contra um ritmo semanal de 10 pontos anteriormente.

Entretanto, a colheita ainda segue avançada na comparação com o mesmo período do ano passado, quando 54,9 por cento do total havia sido colhido.

De uma maneira geral, a colheita está mais adiantada no Brasil nesta temporada, depois que uma severa seca no início do ano acelerou o ciclo de maturação dos cafezais. Uma antecipação da colheita por muitos produtores, temendo a ocorrência de chuvas que afetariam a qualidade do grão, também explica o avanço.

O ritmo de colheita dos cooperados da Cooxupé, com atuação em São Paulo e Minas Gerais, ilustra o ritmo dos trabalhos no Brasil, o maior produtor e exportador global da commodity.

A colheita dos cooperados da Cooxupé é estimada em 6,5 milhões de sacas 2014, com quebra expressiva após a estiagem atípica do início do ano. Esse volume representa quase 15 por cento da safra nacional.

Neste início de semana, o tempo está aberto na área da cooperativa, e a previsão não indica chuvas para os próximos dias, disse um representante da cooperativa. Isso deve permitir uma retomada dos trabalhos.

(Por Roberto Samora)