Vendas de novos remédios da Bayer são ofuscadas por euro forte no 2º tri

quarta-feira, 30 de julho de 2014 10:44 BRT
 

FRANKFURT (Reuters) - A Bayer, maior farmacêutica alemã, divulgou um grande salto nas vendas de seus cinco principais novos remédios no segundo trimestre, enquanto as vendas totais e lucros foram afetados pela força do euro.

Os cinco novos medicamentos --o anticoagulante Xarelto, os remédios para tratamento ocular Eylea e pulmonar Adempas e as drogas para tratar cancêr Stivarga e Xofigo-- tiveram vendas combinadas de 702 milhões de euros no trimestre, ante 339 milhões de euros no mesmo período do ano anterior. O resultado foi superior à previsão da maioria dos analistas.

A Bayer, que criou a Aspirina e produz as pílulas anticoncepcionais Yasmin, tem dito que espera atingir um pico nas vendas anuais de pelo menos 7,5 bilhões de euros com esses medicamentos, em relação ao 1,52 bilhão de euros no ano passado.

As vendas sozinhas do Xarelto, que compete na prevenção de derrames com o Squibb, da Bristol-Myers, e o Eliquis, da Pfizer, chegaram a 1,3 bilhão de euros nos 12 meses até junho.

A Bayer informou nesta quarta-feira que teve alta no lucro do segundo trimestre antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) de 1 por cento, para 2,22 bilhões de euros (2,98 bilhões de dólares), pouco abaixo da estimativa de 2,31 bilhões de euros de analistas, segundo pesquisa Reuters.

A força do euro, que subiu em média no trimestre mais de 5 por cento contra o dólar e contra moedas de países emergentes como o real, fez a Bayer reduzir expectativas para a receita anual.

A Bayer diz estar esperando vendas em 2014 de 41 bilhões de euros, ante uma faixa de 41 bilhões a 42 bilhões de euros prevista pela empresa anteriormente. Isso se compara à receita de 40,2 bilhões de euros no ano passado.

(Por Ludwig Burger)