Comércio eletrônico brasileiro cresce 26% no 1º semestre

quarta-feira, 30 de julho de 2014 15:43 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O faturamento nominal do comércio eletrônico brasileiro subiu 26 por cento no primeiro semestre sobre igual etapa do ano passado, a 16 bilhões de reais, divulgou nesta quarta-feira a empresa de pesquisas E-bit, especializada em informações sobre o setor.

O avanço de dois dígitos contrasta com o desempenho do varejo como um todo, que, diante de um cenário de inflação e juros altos, vem perdendo o vigor mostrado nos últimos anos.

Segundo os últimos dados do setor divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as vendas do varejo tiveram alta de 5 por cento no acumulado do ano até maio.

Na visão do diretor executivo da E-bit, Pedro Guasti, fatores como promoções, entrega em casa com frete grátis e possibilidade de pesquisa virtual de preços vêm contribuindo para que o consumidor feche a compra pela Internet.

De janeiro a junho, o número de pedidos pelo canal cresceu 35,5 por cento, a 48,17 milhões, com tíquete médio de 333,40 reais.

Em comunicado, a E-Bit estimou alta de 21 por cento no faturamento do comércio eletrônico em 2014, com registro de 104 milhões de pedidos no ano.

No primeiro semestre, somente, a categoria de moda e acessórios manteve a liderança conquistada há um ano nas vendas online no país, com participação de 18 por cento no volume total de pedidos.

A categoria de cosméticos e perfumaria/saúde apareceu em segundo (16 por cento), sendo seguida por eletrodomésticos (11 por cento) e livros/assinaturas e revistas (8 por cento).

As vendas fechadas por dispositivos móveis, por sua vez, passaram a responder por 7 por cento do total em junho, ante 3,8 por cento no mesmo mês de 2013. O crescimento de 84 por cento reflete uma tendência no setor, diante do uso crescente de smartphones pelos brasileiros.   Continuação...