Ucrânia detém vice do banco central acusado de furtar US$170 milhões

sexta-feira, 1 de agosto de 2014 11:39 BRT
 

KIEV (Reuters) - O gabinete do procurador-geral da Ucrânia prendeu um vice-presidente do banco central do país sob suspeita de envolvimento no furto de mais de 170 milhões de dólares em dinheiro público.

Botys Pryhodko foi nomeado para sua posição durante a presidência de Viktor Yanukovich, cujo mandato ficou manchado por acusações de corrupção generalizada. O banqueiro é a autoridade mais graduada a ser detida desde a queda de Yanukovich em fevereiro.

"Prykhodko foi colocado sob custódia", disse o primeiro vice-procurador-geral, Mykola Herasimyuk, em uma coletiva de imprensa.

Representantes legais de Prykhodko não puderam ser localizados para comentar. O Banco Nacional da Ucrânia afirmou não ter recebido nenhuma notificação oficial da procuradoria a respeito de Prykhodko e que solicitou uma explicação.

Herasimyuk disse que Prykhodko é suspeito de participar com vários outros envolvidos em um esquema que teria desviado cerca de 2 bilhões de hryvnia (172 milhões de dólares) de um fundo estatal para a agricultura, criado para auxiliar no controle de preços domésticos.

O presidente Petro Poroshenko, que foi eleito em maio e enfrenta uma insurgência de separatistas no leste da Ucrânia, está sendo pressionado para resolver os casos de corrupção, uma das principais preocupações dos eleitores, de acordo com pesquisas de opinião.

Em fevereiro, o primeiro-ministro Arseny Yatseniuk disse que 37 bilhões de dólares em empréstimos haviam sumido dos cofres estatais e que 70 bilhões de dólares foram enviados para o exterior durante o governo de Yanukovich. O ex-presidente negou as denúncias.

(Reportagem de Pavel Polityuk e Natalia Zinets)