Produção industrial do Brasil cai 1,4% em junho, afetada pela Copa

sexta-feira, 1 de agosto de 2014 12:58 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - A produção industrial brasileira recuou 1,4 por cento em junho, marcando o quarto mês seguido de queda na pior série de perdas desde 2010, embora a contração tenha sido menor do que o esperado.

Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, a produção industrial caiu 6,9 por cento em junho, também quarta taxa negativa seguida, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira.

Neste cenário, as perspectivas para o setor continuam negativas, com reflexos para a economia como um todo. Há temores, segundo especialistas, até mesmo de que o país amargou recessão técnica na primeira metade do ano.

"A magnitude da queda (da produção industrial) tem relação direta com menos dias de trabalho por conta da Copa (do Mundo) e com redução da jornada de trabalho e férias dadas nas montadoras", afirmou o economista do IBGE André Macedo.

Pesquisa da Reuters com economistas mostrou que as medianas apontavam queda da atividade de 2,25 por cento na base mensal e de 7,65 por cento sobre um ano antes. Como o resultado veio melhor do que o esperado, o mercado de juros futuros operava em alta nesta sessão.

Nos quatro meses até junho, a queda acumulada da produção foi de 3,4 por cento, segundo o IBGE. A última vez que a produção caiu por quatro meses seguidos foi entre maio e agosto de 2010, quando recuou 1,9 por cento ao todo.

A produção mostrou fraqueza generalizada entre os segmentos de produção, fechando o segundo trimestre com retração de 2 por cento sobre os três meses anteriores e de 5,4 por cento sobre igual período de 2013.

"O ano está perdido para indústria. As perspectivas não são boas uma vez que a Argentina não ajuda, as expectativas do consumidor e do empresariado estão em níveis muito baixos e, por enquanto, não se vê reversão do sentimento ruim", avaliou o economista-chefe do banco ABC Brasil, Luis Otávio Leal.   Continuação...

 
Operário trabalha em linha de montagem de uma planta da Scania em São Bernardo do Campo, São Paulo. 15/09/2010. REUTERS/Paulo Whitaker