Juiz critica em audiência "meias-verdades" da Argentina sobre dívida

sexta-feira, 1 de agosto de 2014 13:08 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - O juiz Distrital dos Estados Unidos Thomas Griesa, em tom severo, criticou nesta sexta-feira a decisão da Argentina de dar calote na dívida de 29 bilhões de dólares no início da semana, ao invés de pagar os chamados credores 'holdouts', como o ordenado.

Na audiência na corte, Griesa disse aos advogados da Cleary Gottlieb, que representa a Argentina, para "tomarem medidas para interromper as informações enganosas divulgadas pela República" sobre a batalha entre os investidores e o país.

As autoridades do país sul-americano têm afirmado repetidamente que cumpriram suas obrigações com a dívida, o que Griesa classificou com "meia-verdade".

"A República deu declarações públicas que têm sido altamente enganosas, e isso tem que parar", disse o juiz.

Griesa ordenou a Argentina pagar 1,33 bilhão de dólares mais juros à NML Capital, uma unidade da Elliott Management Corp, e ao Aurelius Capital Management, os dois principais fundos norte-americanos que não concordaram em receber novos títulos após o default de 2002.

Argentina argumenta que, ao ter depositado 539 milhões de dólares em 30 de junho como pagamento de juros na conta do Bank of New York Mellon, o curador, tinha cumprido o seu dever de pagar suas dívidas. Griesa ordenou que o banco não transferisse os recursos aos detentores de bônus que aceitaram a troca de bônus da dívida em 2005 e 2010.

"Meias-verdades não são o mesmo que a verdade", disse ele no tribunal.

A audiência foi convocada para "clarear para onde vamos a partir daqui", disse Griesa, dizendo que "o que ocorreu esta semana não extingue ou reduz as obrigações da República da Argentina."