Campos promete reforma tributária com regras de transição para garantir receita corrente

sábado, 2 de agosto de 2014 09:41 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, prometeu uma reforma tributária que inclua regras de transição para garantir que os entes federativos não perderão recursos de uma hora para outra e criticou o combate à inflação no governo da presidente Dilma Rousseff.

Em entrevista à GloboNews transmitida no fim da noite de sexta-feira, o socialista disse que os governos de Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma não conseguiram fazer a reforma tributária porque, segundo ele, queriam "fazer para amanhã”.

“O que é possível fazer? É fazer uma reforma com regras de transição, dar segurança de que ninguém vai perder receita corrente”, disse Campos.

“Se a gente fizer com a ideia de médio prazo com algumas medidas sendo implantadas logo, como por exemplo a cumulatividade do PIS/Cofins... tem como modular e implantar uma reforma tributária e melhorar a vida do povo brasileiro.”

O candidato também reiterou críticas à condução da política econômica no governo Dilma, especialmente no tocante ao combate à inflação e alfinetou a presidente ao dizer que o “teto da meta (da inflação) virou o centro”.

A meta de inflação do governo é de 4,5 por cento no ano, com um limite de tolerância de 2 pontos percentuais. Mas há tempos a alta de preços acumulada em 12 meses tem ficado mais próxima dos 6,5 por cento do que dos 4,5 por cento.

Ele criticou o controle de preços dos combustíveis e afirmou que “nós estamos administrando a inflação como se fazia antes do Real”. O ex-governador de Pernambuco, no entanto, não respondeu se, caso eleito, liberaria imediatamente esses preços.

Em vez disso, Campos repetiu que, após as eleições, o governo Dilma irá liberar os preços dos combustíveis e da energia, controlados artificialmente, segundo ele, para dar mais votos à presidente em outubro.

“A inflação era uma pauta vencida e ela voltou para a ordem do dia no Brasil. Quem faz compra sabe o que eu estou falando”, afirmou.   Continuação...