PSDB pede investigação de senadores petistas por atuação na CPI da Petrobras

segunda-feira, 4 de agosto de 2014 19:26 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O PSDB anunciou nesta segunda-feira que entrará com representações contra os senadores petistas Delcídio Amaral (MS) e José Pimentel (CE) junto à Procuradoria Geral da República e ao Conselho de Ética do Senado Federal, por conta de denúncias publicadas na mídia envolvendo a CPI da Petrobras.

Reportagem da revista Veja desta semana afirma que dirigentes da estatal de petróleo que compareceram a audiências na CPI do Senado recebiam com antecedência as perguntas a serem feitas por senadores, para não serem pegos de surpresa e prepararem as respostas.

O PSDB quer que o Ministério Público investigue se foram cometidos os crimes de advocacia administrativa --defesa de interesses particulares por servidor contra os interesses públicos--, falso testemunho, violação de sigilo funcional e improbidade administrativa.

"É algo absolutamente grave, porque foi, na verdade, montada uma farsa, e nós queremos saber até onde isso foi", disse o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, a jornalistas em São Paulo.

Nesta tarde, o deputado federal Carlos Sampaio (PSDB-SP), coordenador jurídico da campanha de Aécio, anunciou a representação contra Delcídio e Pimentel, além de representações na Procuradoria da República do Distrito Federal contra a presidente da Petrobras (PETR4.SA: Cotações), Maria das Graças Foster, e o ex-presidente da estatal José Sérgio Gabrielli.

Também serão alvos de representações servidores da estatal, da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência e do Senado que foram mencionados na reportagem da revista Veja.

“As investigações sobre os atos de improbidade merecem especial atenção do Ministério Público para apurar a participação de todos os envolvidos, pois a maior beneficiária da trama denunciada é, em última instância, a presidente Dilma Rousseff”, disse Sampaio, segundo nota divulgada pela liderança do PSDB na Câmara.

A CPI da Petrobras (PETR4.SA: Cotações) no Senado foi criada com o objetivo, entre outros, de apurar denúncias de irregularidades na compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, em 2006 ,quando a presidente Dilma Rousseff (PT), que busca a reeleição, era presidente do Conselho de Administração da estatal.

  Continuação...