BNDES está "frustrado" com volume de emissão de debêntures Em 2014

quarta-feira, 6 de agosto de 2014 19:58 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A pouco mais de quatro meses para o fim do ano, o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, segue evitando fazer prognósticos para desembolsos do banco em 2014, mas mostrou-se frustrado nesta quarta-feira com a captação de recursos através de debêntures.

Segundo ele, o volume de emissões desses instrumentos está abaixo das expectativas e o movimento mais modesto está associado a juros mais altos e condições menos favoráveis.

"O mercado está preparado, quer os papéis, mas os empreendedores numa circunstância como essa, de taxas muito altas, preferem emitir um pouco mais adiante, com custo mais barato", disse Coutinho a jornalistas.

"Há uma frustração da nossa expectativa. A gente esperava um volume de emissão maior do que fato vai acontecer, o que reflete um pouco na questão do desembolso (do BNDES) no ano", afirmou.

Perguntado se a frustração com as debêntures não pressionaria o BNDES a elevar os desembolsos do banco, Coutinho respondeu que é "preciso ver e esperar mais um pouco" antes de se diagnosticar as projeções sobre liberações de recursos.

"Se o BNDES desembolsa com mais fonte de mercado não é problema; o problema é desembolso com fonte TJLP".

O BNDES vem afirmando que os desembolsos esse ano poderiam desacelerar mediante uma maior participação do mercado de capitais nos financiamentos às companhias. Essa expectativa ainda não se confirmou.

Em 2013, o BNDES liberou pouco mais de 190 bilhões de reais. Os desembolsos do banco entre janeiro e abril subiram 8 por cento ante mesma etapa do ano passado, a 58,8 bilhões de reais. [NL1N0OD1KN]

  Continuação...