Mercado fraco derruba lucro da BM&FBovespa em 28,7% no 2o tri

quinta-feira, 7 de agosto de 2014 20:46 BRT
 

(Reuters) - A apatia do mercado doméstico de capitais e a ausência de novas listagens no mercado acionário fizeram o lucro da BM&FBovespa cair quase 30 por cento no segundo trimestre.

A operadora de bolsas anunciou nesta quinta-feira que seu lucro do período somou 250,1 milhões de reais, queda de 28,7 por cento ante igual etapa de 2013.

O número veio quase em linha com a previsão média de sete analistas consultados pela Reuters, que apontava que a companhia teria lucro de 249 milhões de reais no período.

O movimento foi menor tanto no segmento Bovespa --queda anual de 22,8 por cento por cento na receita bruta-- quanto no BM&F, declínio de 27,9 por cento na mesma comparação. Juntos, os dois braços respondem quase 80 por cento da receita da empresa.

De abril a junho, o volume médio diário negociado na Bovespa foi 18,7 por cento inferior ao de igual período do ano anterior, a 6,74 bilhões reais, refletindo uma combinação de menores volumes de negócios e ausência de novas listagens.

Na primeira metade de 2014 não houve sequer uma estreia no mercado de ações brasileiro.

Refletindo o baixo desempenho do mercado à vista, o de opções sobre ações e índices houve redução de 32,6 por cento no volume médio diário no ano a ano, principalmente devido à queda de 63 por cento nos negócios com de opções de ações da Vale.

Na mesma batida, o volume médio diário de contratos negociados no Segmento BM&F atingiu 2,3 milhões de contratos, queda de 37,9 por cento sobre o segundo trimestre de 2013.

"As condições de mercado, tanto em âmbito local quanto internacional, apresentaram significativas mudanças, com queda na volatilidade e alteração nas perspectivas macroeconômicas nos últimos 12 meses", explicou a companhia, acrescentando que a estabilidade maior desestimulou negócios.   Continuação...