Previsão de demanda por energia no Brasil é reduzida e preço de eletricidade no curto prazo cairá

sexta-feira, 8 de agosto de 2014 13:10 BRT
 

Por Leonardo Goy

BRASÍLIA (Reuters) - A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou nesta sexta-feira uma revisão para baixo da carga do sistema elétrico brasileiro para o período de 2014 a 2018 pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o que reduzirá o preço da energia de curto prazo.

Segundo a Aneel, a projeção de demanda menor de energia terá um efeito de redução de 160 reais por megawatt-hora (MWh) no Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) já para a semana que vem.

O PLD é o preço que baliza as operações do mercado de curto prazo. A redução ocorre em um momento em que o governo federal fecha mais um empréstimo, dessa vez de 6,6 bilhões de reais, para ajudar as distribuidoras a pagar a conta da compra de energia no mercado de curto prazo. [nL2N0QE02B]

Segundo o diretor da Aneel Reive Barros, relator do caso, o pedido do ONS para fazer as novas projeções de carga decorre da revisão para baixo, pelo Banco Central, do crescimento médio anual do PIB de 4,4 para 3,5 por cento para os próximos quatro anos. No total, a revisão indica queda de 7.551 megawatts médios na projeção de carga do país.

A previsão de carga para 2014, por exemplo, caiu 1,8 por cento, dos 65.917 MWmed estimados em maio para 64.710.

Para 2015, a demanda esperada foi reduzida em 2,4 por cento, para 66.773 MWmed, ante os 68.420 esperados anteriormente. Em 2016, a revisão foi 2,3 por cento, para 69.545 MWmed.

Para 2017, a Aneel autorizou a redução da estimativa em 2 por cento, para 72.574 MWmed. Em 2018, a carga deve ficar em 75.711 MWmed, previsão 1,9 por cento abaixo da anterior.

"Isso equivale a quase uma usina de Santo Antônio por ano", disse Reive, referindo-se à geração média anual estimada para a hidrelétrica do Rio Madeira.   Continuação...