IPCA fica praticamente estável em julho com fim da Copa e volta à meta em 12 meses

sexta-feira, 8 de agosto de 2014 14:05 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - A inflação oficial brasileira surpreendeu e desacelerou para o menor patamar em quatro anos em julho, diante do alívio nos preços de hotéis e passagens aéreas com o fim da Copa do Mundo, e voltou para o limite do teto da meta em 12 meses.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 0,01 por cento julho -- variação mais baixa desde julho de 2010-- ante 0,40 por cento em junho. No acumulado de 12 meses, o IPCA recuou para 6,50 por cento em julho, ante 6,52 por cento mo mês anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira.

Os números vieram abaixo das expectativas em pesquisa da Reuters, de alta mensal de 0,10 por cento em julho e de 6,60 por cento no acumulado em 12 meses.

Além do recuo da inflação, o índice de difusão dos aumentos de preços do IPCA recuou para 59,98 por cento, ante 61,39 por cento no mês anterior, segundo cálculos do banco Fator.

O governo comemorou o resultado. "A inflação vem caindo por quatro meses seguidos indicando comportamento mais benigno nos próximos meses e isso é resultado da política econômica colocada em prática pelo governo desde meados do ano passado", afirmou o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland.

A inflação, que tem permanecido ao redor do teto da meta anual do governo, de 4,5 por cento, com margem de 2 pontos percentuais para mais ou menos, é um ponto vulnerável na campanha para a reeleição da presidente Dilma Rousseff.

FIM DA COPA   Continuação...

 
Vista aérea do aeroporto internacional do Recife. 6/04/2014. REUTERS/Paulo Whitaker