Petrobras terá menor importação de gasolina com uso de condensados, diz fonte

sexta-feira, 8 de agosto de 2014 18:34 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras (PETR4.SA: Cotações) vem intensificando o uso de uma tecnologia de produção de gasolina a partir de condensados de gás associados a novos campos de petróleo, e aposta nessa técnica para reduzir mais as compras do combustível no exterior este ano, disse uma fonte com conhecimento do assunto.

Alterações na logística e um crescimento menos expressivo na demanda por gasolina no país em relação ao ano passado também favorecem uma redução maior do que a projetada nas importações do combustível pela Petrobras, disse a fonte, que falou à Reuters na condição de anonimato.

O movimento nas refinarias e na logística faz parte do esforço da empresa de reduzir a dependência da importação de gasolina e, consequentemente, diminuir a pressão sobre as contas da companhia. A área de Abastecimento da petroleira tem registrado prejuízos nos últimos anos pela defasagem de preços dos combustíveis em relação aos valores internacionais.

"Há trabalho na otimização do parque (de refino) e numa logística mais eficiente para reduzir a importação. Além disso, a demanda está crescendo em relação ao ano passado num ritmo não tão forte", afirmou a fonte.

Com a produção de gasolina a partir de condensados de gás, a estatal pode reduzir em 10 mil barris/dia a necessidade de importação em 2014, em relação às previsões iniciais, destacou.

Historicamente, nos últimos anos, de acordo com a fonte, as importações de gasolina ficaram na média anual perto de 60 a 70 mil barris/dia.

A Petrobras tem a expectativa de importar este ano algo perto de 200 mil barris/dia de combustíveis (gasolina e diesel), sendo 150 mil barris/dia só de diesel.

Este ano a demanda por diesel e gasolina está crescendo na média em cerca de 4 por cento, enquanto em 2013 estava acima desse patamar, segundo a fonte.   Continuação...