Abril Educação amplia prejuízo no 2o tri a R$37 milhões

segunda-feira, 11 de agosto de 2014 20:38 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Abril Educação, companhia voltada à educação básica e pré-universitária, ampliou seu prejuízo líquido para 37 milhões de reais no segundo trimestre, ante resultado negativo de 8,2 milhões de reais um ano antes.

Os números foram pressionados pela provisão de reestruturação, de 28 milhões de reais no período, e o avanço das despesas financeiras, para 36,5 milhões de reais, de acordo com o presidente-executivo da companhia, Mario Ghio Junior.

Desconsiderando estes efeitos, o resultado estaria em linha com o do segundo trimestre de 2013, sendo que o período é tradicionalmente mais fraco em relação aos demais, acrescentou o executivo.

A receita líquida entre abril e junho totalizou 209,4 milhões de reais, um crescimento de 27 por cento sobre o mesmo período do ano passado.

Segundo a companhia, a captação de alunos de escolas e sistemas de ensino na primeira metade do ano garante receita para o ano todo. O segmento representou 34 por cento da receita no semestre e encerrou junho com 793,3 mil alunos, 41 por cento a mais na comparação anual.

Parte deste aumento foi impulsionado pelo crescimento orgânico de 14 por cento na base de alunos dos sistemas tradicionais (Anglo, pH, SER, GEO, Maxi e Farias Brito).

Além disso, o avanço de 127 mil alunos no Sistema Técnico em virtude do reconhecimento das matrículas do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico(Pronatec) também ajudou nos resultados.

Já entre as escolas e cursos preparatórios (Anglo, pH, Motivo e Sigma) fechou o trimestre com 23,1 mil matriculados em 19 unidades, um avanço de 50 por cento em relação a 2013.

No negócio de idiomas, a receita líquida foi 30 por cento superior na comparação anual, a 36,4 milhões de reais, em virtude do reconhecimento parcial da receita do Grupo Ometz (Wise Up e You Move).   Continuação...