Inflação não pode ser combatida somente com juros, diz Eduardo Campos

terça-feira, 12 de agosto de 2014 22:20 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos, afirmou nesta terça-feira que a inflação não deve ser combatida apenas com a taxa de juros, e que deve haver uma coordenação das políticas macroeconômicas do governo.

Ao mesmo tempo em que reiterou promessas de campanha, como o do Passe Livre para estudantes e o aumento de repasses de recursos federais para saúde e segurança, que podem acarretar um aumento dos gastos públicos, o presidenciável defendeu a responsabilidade fiscal e se comprometeu a trazer a inflação para o centro da meta, de 4,5 por cento.

"A inflação não pode ser combatida só com a taxa de juros, como vem sendo feito no país. É preciso ter uma coordenação entre a política macroeconômica monetária e a política fiscal", disse o candidato em entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo.

"Mas é preciso também ter regras seguras", acrescentou.

Campos disse que sua equipe de técnicos trabalha na construção de um programa de governo, a ser divulgado nos "próximos dias", para equacionar o fraco crescimento da economia brasileira e o aumento de preços, e ainda encontrar brechas no orçamento para a realização de suas promessas de campanha, se for eleito em outubro.

"É possível, sim. Nós estamos fazendo contas", afirmou na entrevista. "E o crescimento também vai abrir espaço fiscal", acrescentou, sem dar mais detalhes.

O candidato, terceiro colocado nas pesquisas de intenção de voto mais recentes, reiterou críticas ao governo de Dilma Rousseff, que tenta a reeleição e lidera as sondagens eleitorais.

Para Campos, a presidente deve entregar o país a um eventual sucessor em uma situação pior do que há quatro anos, quando foi eleita. O candidato afirmou ainda que o governo "esconde" os problemas que vem enfrentando.

"A pior coisa na vida de uma pessoa, de uma família, de um governo, é a gente ficar escondendo os problemas", disse, referindo-se à defasagem dos preços dos combustíveis e às medidas adotadas pelo Executivo para auxiliar as distribuidoras de energia a fazer frente a um aumento dos custos de energia.   Continuação...