BHP Billiton vai fazer cisão de ativos indesejados

sexta-feira, 15 de agosto de 2014 09:31 BRT
 

MELBOURNE/LONDRES, 15 Ago (Reuters) - A companhia diversificada de mineração BHP Billiton declarou sua preferência pela realização de uma cisão de seus ativos de alumínio, manganês e níquel nesta sexta-feira, montando o palco para a formação de um negócio separado que segundo um relatório pode valer até 14 bilhões de dólares.

A BHP disse que seu Conselho está ponderando uma cisão nas reuniões antes do anúncio de seus resultados anuais na semana que vem. De acordo com um jornal australiano, estes planos estão bem avançados e incluem o negócio Nickel West, que a maior mineradora do mundo tem tentado vender.

"A cisão de um conjunto de ativos é nossa opção preferida", disse a companhia, que tem um valor de mercado de 185 bilhões de dólares, em um comunicado à bolsa australiana.

A companhia há muito busca vender ou fazer a cisão de seus ativos de manganês, alumínio e níquel, que contribuem pouco para seus resultados. A simplificação da companhia "geraria um crescimento mais forte no fluxo de caixa e um retorno superior sobre investimento", disse a BHP nesta sexta-feira.

"Cisões têm o potencial de cristalizar valores que o mercado pode não ter sido capaz de ver", disse Neil Boyd-Clark, um administrador de portfólio da Arnhem Investment Management, que detém ações na BHP.

Ele não quis colocar um valor para a cisão antes de um anúncio sobre o que será incluído na nova companhia.

O jornal Australian Financial Review disse que a companhia separada incluirá os ativos de alumínio, manganês, níquel, a mina de prata Cannington e de carvão para energia na África do Sul e que valerá 14 bilhões de dólares.

Analistas estão divididos sobre o valor preciso destes ativos, com estimativas na faixa de 12 bilhões a 23 bilhões de dólares.

A BHP não quis comentar sobre o relatório do jornal.

(Por Sonali Paul e Silvia Antonioli)