Suzano diz que passou a se beneficiar de maior preço da energia

sexta-feira, 15 de agosto de 2014 16:58 BRT
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO (Reuters) - A Suzano Papel e Celulose afirmou que está se beneficiando do maior preço da energia elétrica no mercado de curto prazo, após equilibrar as contas com a compra de energia mais cara no Sudeste e a venda de energia mais barata no Norte.

A empresa, que vende energia produzida na fábrica de Imperatriz, no Maranhão, e compra para a unidade de Suzano, em São Paulo, registrou no segundo trimestre aumento do custo dos produtos vendidos por maiores gastos com energia, entre outros fatores.

Mas em junho a empresa conseguiu equilibrar seus negócios com energia, para no mês seguinte passar a lucrar com o alto preço da energia no mercado de curto prazo.

"Estamos aumentando a exportação (de energia) no Maranhão à medida que as produções aumentam, e isso já passou a ser superavitário a partir de julho. A questão de energia já está endereçada... Adicionalmente, em julho, passamos a exportar energia em Mucuri (BA) também", disse o presidente da Suzano, Walter Schalka, em teleconferência com analistas para comentar os resultados trimestrais.

A Suzano, segunda maior produtora mundial de celulose de eucalipto, teve lucro líquido de 97,2 milhões de reais no segundo trimestre, revertendo o prejuízo um ano anotes, com um amelhora do resultado financeiro e crescimento das vendas no período.

O custo dos produtos vendidos pela Suzano no segundo trimestre totalizou 1,328 bilhão de reais, 35,5 por cento superior a igual período do ano anterior, também impactado pela variação cambial nos itens atrelados ao dólar e pelo maior volume vendido de papel e celulose.

A companhia gera energia a partir do processo de produção da celulose.

Para o segundo semestre do ano, a Suzano afirmou que possui cerca de 70 por cento da compra e venda de energia contratadas.   Continuação...