Setor cafeeiro já aponta graves danos para safra 2015 do Brasil

terça-feira, 19 de agosto de 2014 16:23 BRT
 

Por Caroline Stauffer

LAVRAS Minas Gerais (Reuters) - Produtores e pesquisadores estão detectando graves danos nos cafezais do Brasil depois da seca do começo deste ano e dizem que 2015 poderá registrar a menor safra de café arábica em uma década no maior exportador do mundo.

A pior sequência de calor e tempo seco já registrada na área produtora de café do Brasil reduziu a safra em 30 por cento na colheita praticamente concluída de 2014 em algumas regiões, e puxou uma alta de 55 por cento nos preços do café arábica KCc1 em 12 meses, ao maior nível em dois anos.

No primeiro sinal concreto de uma safra menor em 2015, as flores apareceram um mês mais cedo que o normal em algumas áreas. Depois da seca, chuvas de até 50 milímetros em julho induziram a floradas isoladas em agosto, algo pouco usual em Minas Gerais até setembro e outubro. [nL2N0QO1C5]

"A próxima safra vai acabar muito seriamente comprometida", disse o professor José Donizete Alves, especialista em café da Universidade Federal de Lavras, em Minas Gerais, apontando para um ramo atrofiado e com um fungo atípico.

Ele estima que o Brasil produzirá entre 24 milhões e 27 milhões de sacas de café arábica em 2015 e que a florada possa ocorrer várias vezes nesta temporada, impedindo a realização da colheita de uma só vez no próximo ano.

A florada fragmentada e as previsões pessimistas poderiam reacender as preocupações que dois meses de calor extremo representaram para a produção de grãos arábica de alta qualidade no Brasil deste ano, potencialmente aumentando ainda mais os preços, prejudicando os lucros dos pequenos agricultores e forçando torrefadores a buscar novas fontes ou a contar com o café robusta, de menor qualidade.

ESTOQUES BAIXOS   Continuação...