Crescimento empresarial da zona do euro desacelera em agosto, mostra PMI

quinta-feira, 21 de agosto de 2014 07:56 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O crescimento do setor privado da zona do euro desacelerou mais do que o esperado em agosto, apesar de cortes generalizados de preços, com queda tanto na atividade da indústria quanto nos serviços, mostrou nesta quinta-feira o Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês).

O crescimento econômico da zona do euro estagnou no segundo trimestre, pressionado pela contração na Alemanha e estagnação na França, mesmo antes de qualquer impacto das sanções à Rússia e pela Rússia devido à Ucrânia.

O PMI Composto do Markit fornecerá uma leitura sombria para o Banco Central Europeu (BCE), sugerindo que suas duas maiores economias estão enfrentando problemas como os membros menores.

Bom indicador do crescimento geral, o PMI Composto preliminar caiu para 52,8, ante 53,8 em julho, aquém das expectativas em pesquisa da Reuters de 53,4.

Entretanto, leituras acima de 50 ainda indicam expansão. O Markit informou que os dados sinalizam expansão econômica no terceiro trimestre de 0,3 por cento, igualando previsões em pesquisa da Reuters na semana passada.

"Ainda não estamos vendo uma recuperação se enraizando. Não estamos vendo nada para pensar: sim, esse é o ponto em que a zona do euro saiu de todas as suas dificuldades", disse o economista sênior do Markit, Rob Dobson.

O PMI de indústria caiu para 50,8, contra 51,8 em julho, abaixo da expectativa de 51,3 e o menor nível desde julho de 2013. Já o PMI de serviços recuou em linha com as expectativas para 53,5, ante 54,2.

(Por Jonathan Cable)