Cesp defende menor volatilidade do preço da energia de curto prazo

terça-feira, 26 de agosto de 2014 15:28 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A geradora de energia Cesp defende uma mudança que diminua a volatilidade do preço de energia de curto prazo dado pelo Preço de Liquidação de Diferenças (PLD), que baliza o mercado de energia de curto prazo, disse nesta terça-feira o diretor-financeiro da estatal paulista, Almir Martins.

"Eu defenderia qualquer medida que pudesse diminuir a volatilidade do PLD. Eu, pessoalmente, gostaria que o PLD fosse algo mais estável, sem ter as mudanças bruscas que oscilam de semana para semana", disse ele.

Enquanto o executivo da Cesp falava em São Paulo, o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Fufino, disse a jornalistas em Brasília que o órgão regulador estuda fazer uma revisão mais profunda do PLD. Uma possibilidade é alterar, a partir do ano que vem, a termelétrica usada como referência no cálculo.

Mais cedo neste ano, houve uma pressão de alguns participantes do setor elétrico para que houvesse uma mudança no cálculo do PLD, para evitar fortes variações do preço que pode cair ou subir fortemente de uma semana para outra, com base na situação hidrológica, entre outros fatores.

Há quem defenda que o custo de operação de usinas usado para compor o PLD seja o valor médio, e não o marginal.

Para o diretor da Cesp, qualquer mudança nas premissas do PLD devem ser definidas até o fim do ano "para que as empresas, já conhecendo a nova metodologia, possam fazer os seus cálculos para alocação da energia no ano seguinte".

A Cesp tem sobra de energia e o PLD alto tem sido favorável para a companhia na venda de energia no curto prazo.

GARANTIAS DAS GERADORAS   Continuação...