Projeção menor para produção de etanol pode elevar preços, diz Sindicom

terça-feira, 26 de agosto de 2014 17:17 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A redução da estimativa para a produção de etanol do centro-sul nesta terça-feira, pela indústria de cana, poderá causar "leve" impacto nos preços do biocombustível, afirmou o diretor de Abastecimento e Regulamentação do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes (Sindicom), Luciano Libório.

Ao revisar suas projeções para o ano, a União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica) estimou que a produção total de etanol será de 24 bilhões de litros, queda de 7,2 por cento frente à projeção inicial, realizada em abril. O volume é ainda 6,14 por cento menor que o da safra passada.

Numa análise mais detalhada, a produção de etanol anidro (misturado à gasolina) ainda vai crescer 2,8 por cento ante 13/14, enquanto a produção de hidratado (usado nos carros flex) cairá quase 13 por cento na comparação com a safra passada.

A mudança de cenário na região que produz quase todo o etanol do Brasil ocorreu devido a condições climáticas desfavoráveis. [nL1N0QW1P4]

Mas, para o diretor do Sindicom, a revisão da projeção e sua magnitude não causou surpresa.

"O número é bem menor do que tinham falado no início, mas acho que a sinalização já estava muito nesse sentido, foi mais uma confirmação", disse Libório, à Reuters.

Apesar de destacar que os analistas de mercado já estavam esperando por uma revisão da Unica e que já podem ter precificado a mudança, Libório não descarta um possível impacto nos preços do etanol.

"Com a redução da projeção de oferta, o mercado já tenta se reequilibrar pelo balanço de oferta e demanda, faz um ajuste leve em preço, provável, mas não dá para afirmar; e se isso não acontecer agora, acontece um pouco mais na frente", afirmou.

Segundo a Unica, as vendas acumuladas de etanol de abril até 16 de agosto, no mercado doméstico, pelas unidades do centro-sul, estão em alta. O volume vendido de anidro atingiu 3,63 bilhões de litros, alta de 8,18 por cento sobre o mesmo período de 2013.   Continuação...