MasterCard diz que receita na América Latina deve dobrar até 2019

quarta-feira, 27 de agosto de 2014 09:56 BRT
 

Por Anthony Esposito

SANTIAGO, 27 Ago (Reuters) - A MasterCard, segunda maior companhia de cartões de crédito e débito do mundo, espera que a receita líquida dobre na América Latina durante os próximos quatro a cinco anos devido a fortes gastos de consumidores e uma mudança de pagamentos em dinheiro para pagamentos eletrônicos, disse um executivo sênior à Reuters.

Nos últimos anos, uma classe média crescente tem impulsionado uma expansão nos gastos de consumidores na América Latina e ajudado a sustentar o crescimento econômico.

"Há muito mais crescimento aqui na América Latina em termos de crescimento percentual em base anual do que se tem em lugares como os Estados Unidos ou a Europa", disse Ann Cairns, presidente do negócio da MasterCard fora da América do Norte, em uma entrevista na terça-feira.

"O motivo é que se tem uma combinação de (crescimento dos) gastos de consumidores e também uma mudança secular de dinheiro para pagamento eletrônico", disse Cairns após encerrar um tour pela região.

Uma falta de acesso a serviços financeiros na América Latina também apresenta uma oportunidade para a MasterCard. Apenas 39 por cento da população na América Latina tem acesso a serviços financeiros, em comparação a quase 90 por cento em países com alta renda, segundo dados do Banco Mundial.

"Há uma grande parcela da população que é apenas uma economia puramente baseada em dinheiro. Então, caso se consiga causar uma boa alteração secular em lugares como esse, então haverá uma grande mudança", disse Cairns, cuja divisão internacional responde por 60 por cento dos negócios da MasterCard.

A companhia divulga apenas números de receita líquida para sua operação geral, portanto não podia dar detalhes de quanto representa a América Latina. O lucro líquido da MasterCard subiu para 931 milhões de dólares no segundo trimestre encerrado em 30 de junho, ante 848 milhões de dólares um ano antes.