Ibovespa fecha na máxima em 19 meses com apostas em mudança de governo

quarta-feira, 27 de agosto de 2014 19:41 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa não sustentou os 61 mil pontos após os ajustes, mas fechou com pontuação máxima em 19 meses nesta quarta-feira, após pesquisas reforçarem um quadro mais difícil de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT), com agentes também analisando o primeiro debate entre candidatos.

O Ibovespa subiu 1,89 por cento, a 60.950 pontos. Na maior pontuação da jornada, de 61.246 pontos, o índice alcançou o maior nível intradia também desde o final de janeiro de 2013. O giro financeiro da sessão somou 10,8 bilhões de reais.

Há uma forte presença de estrangeiros na bolsa corroborando o rali, em meio ao ambiente de ampla liquidez externa, mas a avaliação de agentes financeiros é de que o cenário eleitoral está amplificando o movimento.

"Se não fosse a eleição, a bolsa não estaria nessa toada toda. O fundamento de Brasil é muito ruim. A eleição está trazendo a possibilidade de mudança em vários aspectos nesse sentido", disse um gestor, que preferiu não ser identificado.

Os estrangeiros estavam comprados em 100.386 contratos em aberto de Ibovespa futuro na terça-feira. Em agosto, até dia 25, o saldo externo na Bovespa foi positivo em 1,6 bilhão de reais.

No calendário eleitoral, a candidata do PSB à Presidência confirmou força na pesquisa Ibope da véspera ao se aproximar da líder Dilma Rousseff no primeiro turno e vencendo a petista na segunda rodada com folga. O movimento confirmado em levantamento CNT/MDA nesta quarta-feira.

No primeiro debate na TV entre os presidenciáveis, na véspera, Marina prometeu governar unindo o país em contraposição à polarização PT X PSDB, enquanto o tucano Aécio Neves se apresentou como mudança segura e a presidente Dilma defendeu as realizações de seu governo.

Nesta noite, Marina volta ao radar em entrevista ao Jornal Nacional.   Continuação...

 
A candidata à Presidência pelo PSB, Marina Silva (esquerda), cumprimenta a presidente e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, enquanto o candidato do PSDB, Aécio Neves, observa, antes do debate na Band, em São Paulo, na terça-feira. 26/08/2014  REUTERS/Paulo Whitaker