Com fim da Copa, indústria do Brasil volta a crescer em agosto após 4 meses, aponta PMI

segunda-feira, 1 de setembro de 2014 11:12 BRT
 

Por Camila Moreira

SÃO PAULO (Reuters) - A atividade da indústria brasileira voltou a mostrar expansão em agosto após quatro meses de contração, favorecida pelo aumento da produção com o fim da Copa do Mundo e pela atividade de compras, de acordo com o Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) divulgado nesta segunda-feira.

Em agosto, o PMI da indústria apurado pelo Markit subiu a 50,2 contra 49,1 em julho, voltando a ficar acima da marca de 50 que separa crescimento de contração pela primeira vez desde março.

"O índice sugere que a atividade melhorou modestamente em agosto, no que pode ter sido uma recuperação após os impactos provocados pela Copa do Mundo", disse o economista-chefe do HSBC André Lóes.

Os PMIs em junho e julho mostraram que a Copa do Mundo afetou a atividade industrial. Mas com a conclusão do Mundial, a indústria aumentou a produção em agosto, bem como garantiu a assinatura de novos acordos comerciais, segundo o Markit.

O maior aumento da produção foi registrado pelo subsetor de bens intermediários, enquanto a indústria de bens de capital teve ligeira queda.

Por sua vez, a atividade de compra cresceu pelo segundo mês seguido, e no ritmo mais rápido desde março. Todas as categorias registraram aumento, sendo o mais forte entre os produtores de bens de investimento.

Por outro lado, o volume de novos negócios permaneceu inalterado em agosto, sendo que a subcategoria de bens de capital registrou redução.

Embora o resultado geral tenha interrompido quatro meses seguidos de queda, Lóes destacou que os novos pedidos ficaram praticamente estáveis em relação ao mês anterior, sugerindo que "o cenário para o setor permanece fraco".   Continuação...

 
A atividade da indústria brasileira voltou a mostrar expansão em agosto após quatro meses de contração, favorecida pelo aumento da produção com o fim da Copa do Mundo e pela atividade de compras, de acordo com o PMI. 28/06/2014 REUTERS/Roosevelt Cassio