Europa elabora plano de emergência de olho em eventual corte na oferta de gás russo

segunda-feira, 1 de setembro de 2014 13:12 BRT
 

Por Henning Gloystein

LONDRES (Reuters) - A União Europeia poderia proibir exportações de gás e limitar o uso industrial como parte de medidas de emergência para proteger a oferta de energia às famílias neste inverno, disse uma fonte à Reuters, enquanto se prepara para uma possível interrupção no fornecimento de gás da Rússia como resultado da crise da Ucrânia.

A Rússia é o maior fornecedor de petróleo, carvão e gás natural à Europa, e seus dutos que cortam a Ucrânia são atualmente alvo de manobras políticas, e não pela primeira vez, enquanto a Europa e Moscou entram em conflito devido à ação militar russa na Ucrânia.

Kiev alerta que a Rússia planeja interromper a oferta de gás, enquanto Moscou diz que a Ucrânia poderia roubar energia destinada à UE, que acaba de ameaçar novas sanções se Moscou não retirar suas tropas da Ucrânia.

Embora compradores de petróleo e carvão consigam encontrar novos fornecedores de forma relativamente rápida, o sudeste da Europa recebe a maior parte de seu gás da Gazprom, controlada pelo Kremlin.

Cargueiros do Catar e da Algéria trazem gás natural liquefeito (GNL) à Europa via portos ao longo dos oceanos Atlântico e Mediterrâneo, mas compradores europeus costumam revender esses carregamentos no exterior por preços mais altos, em vez de abastecer seu mercado doméstico.

Uma fonte da Comissão da UE disse que o órgão está considerando proibir essa prática para fortalecer as reservas.

"No curto prazo, estamos bastante preocupados com a oferta no inverno no sul da Europa", disse a fonte, que tem conhecimento direto dos planos energéticos de emergência da Comissão.

"Nossa melhor esperança no caso de um corte é a medida de emergência 994/2010, que poderia evitar que o GNL deixe a Europa, além de limitar o uso industrial de gás, para proteger as famílias", disse a fonte.

A Regulação da UE número 994/2010, aprovada em 2010 para proteger as ofertas de gás, pode incluir proibir que campanhias de gás vendam carregamentos de GNL fora da Europa, mantendo mais gás nas reservas, e ordenar à indústria que pare de usar gás.

 
A UE poderia proibir exportações de gás e limitar o uso industrial como parte de medidas de emergência para proteger a oferta de energia às famílias neste inverno, enquanto se prepara para uma possível interrupção no fornecimento de gás da Rússia. 12/08/2014 REUTERS/Ints Kalnins