BCE corta juros e lança novo esquema de crédito conforme crescimento evapora

quinta-feira, 4 de setembro de 2014 12:15 BRT
 

Por Eva Taylor e Paul Carrel

FRANKFURT (Reuters) - O Banco Central Europeu (BCE) cortou as taxas de juros a novas mínimas recordes nesta quinta-feira, e lançou um novo programa para injetar dinheiro na combalida economia da zona do euro.

Em uma série de medidas que destacam a crescente preocupação com a saúde do bloco monetário, o BCE cortou sua principal taxa de refinanciamento para 0,05 por cento, ante 0,15 por cento, e levou sua taxa de juros overnight sobre depósitos para território ainda mais negativo, cobrando agora 0,20 por cento de bancos para deixarem fundos no BCE.

A zona do euro estagnou no segundo trimestre do ano e a crise ucraniana agora pesa consideravelmente sobre a confiança empresarial.

"O Conselho Diretor vê que há riscos cercando a perspectiva econômica para a zona do euro", disse o presidente do BCE, Mario Draghi, em entrevista à imprensa.

"Em particular, a perda do ímpeto econômico pode afetar o investimento privado, e riscos geopolíticos elevados podem ter mais impacto negativo sobre a confiança de empresas e consumidores".

As novas projeções econômicas do BCE estimam um crescimento mais lento neste ano, de apenas 0,9 por cento, com uma retomada para 1,6 por cento em 2015.

A previsão para inflação, hoje a apenas 0,3 por cento, foi cortada para 0,6 por cento, avançando para 1,1 por cento em 2015, ainda muito abaixo da meta do BCE de próxima porém abaixo de 2 por cento.

Draghi disse que caso pareça que a inflação permanecerá muito baixa por muito tempo, o Conselho do BCE é unânime em seu compromisso de usar outros "instrumentos não convencionais" --frase vista como código para impressão de dinheiro como fizeram o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, e o banco central britânico.   Continuação...

 
Logo do euro fotografado em frente à sede do Banco Central Europeu, em Frankfurt. 15/01/2009.   REUTERS/Kai Pfaffenbach