Ações europeias atingem máxima de 6 anos e meio após BCE elevar estímulos

quinta-feira, 4 de setembro de 2014 14:30 BRT
 

Por Francesco Canepa

LONDRES (Reuters) - As ações europeias subiram nesta quinta-feira e o índice FTSEurofirst 300 atingiu no intradia a máxima em seis anos e meio, depois que o Banco Central Europeu (BCE) cortou as taxas de juros e revelou planos para comprar ativos na tentativa de elevar a inflação na zona do euro.

O índice FTSEurofirst 300, que reúne os principais papéis do continente, subiu 1,12 por cento, a 1.400 pontos, após atingir no intradia o maior nível desde o começo de 2008. O índice acumula alta de cerca de 8 por cento desde meados de agosto, antecipando as medidas do BCE.

O BCE surpreendeu e cortou as taxas de juros para as mínimas recordes e seu presidente, Mario Draghi, disse que a instituição começará a comprar empréstimos securitizados e bônus cobertos no mês que vem para ajudar a destravar empréstimos na zona do euro.

"Mesmo que estas medidas acabem não sendo tão eficazes como o BCE espera, isso não significa que as ações no médio a longo prazo não vão subir, porque novamente o mercado está inundado por liquidez e há poucas alternativas a ações", disse o operador sênior da Peregrine & Black Markus Huber.

O volume de negociação foi quase 40 por cento maior do que a média diária do FTSEurofirst 300 dos últimos três meses.

O amplo rali viu todos os índices setoriais do STOXX Europe 600 fecharem em território positivo, liderado por bancos, que devem se beneficiar vendendo títulos lastreados em ativos ao BCE.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,06 por cento, a 6.877 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 1,02 por cento, a 9.724 pontos.   Continuação...