ENTREVISTA-Venda de terrenos e descontos no estoques ajudam Rossi a gerar caixa

terça-feira, 9 de setembro de 2014 11:00 BRT
 

Por Juliana Schincariol

RIO DE JANEIRO, 9 Set (Reuters) - A construtora e incorporadora Rossi Residencial planeja vender estoques e ativos não estratégicos para ajudar na geração de caixa, enquanto tenta preservar a rentabilidade e segue sem ver melhora relevante do cenário econômico.

Atualmente, a Rossi tem 100 milhões de reais em terrenos tidos como não estratégicos e que podem ser vendidos para ajudar a reduzir sua alavancagem, disseram à Reuters dois executivos da companhia.

"Ou porque estão em cidades fora do plano estratégico ou fora do segmento que a gente quer atuar", afirmou o diretor financeiro e de relações com investidores da Rossi, Rodrigo Ferreira Medeiros.

A Rossi já se desfez de cerca 190 milhões de reais desde 2012 em ativos neste perfil. Em uma das operações, em outubro de 2013, vendeu a fatia em shopping no Ceará por 80 milhões de reais.

Outra estratégia no curto prazo é uma postura agressiva de venda de estoques, com um desconto médio de 13 a 15 por cento dos produtos em praças não estratégicas ou de unidades prontas ou "quase prontas".

A Rossi tem cerca de 3 bilhões de reais em estoque, dos quais 1 bilhão considerados não estratégicos. A empresa tem ainda outros 6 bilhões de reais em carteira de unidades já vendidas e que receberá à medida em que entregar os empreendimentos.

"A ideia é gerar caixa para reduzir nossa alavancagem, diminuir o custo financeiro", disse Medeiros.

"A campanha de vendas desta carteira especificamente tem tido resultado bastante satisfatório em relação ao mercado", acrescentou o diretor-executivo da Rossi, Leonardo Diniz, sem detalhar números.   Continuação...