Minério de ferro amplia perdas; Goldman Sachs vê fim de uma era

quarta-feira, 10 de setembro de 2014 10:23 BRT
 

CINGAPURA, 10 Set (Reuters) - Os preços do minério de ferro caíram a uma nova mínima de 5 anos nesta quarta-feira, com a ampla oferta no mercado mantendo fraco o apetite por compras, o que levou o Goldman Sachs a alertar que a commodity entrou numa nova fase.

"Na nossa visão, 2014 é o ponto de inflexão onde nova capacidade de produção finalmente alcança o crescimento da demanda e as margens de lucro começam sua reversão para a média histórica; em outras palavras, chegamos ao fim da Idade do Ferro", disseram os analistas do Goldman Christian Lelong e Amber Cai em um relatório nesta quarta-feira.

O minério com entrega imediata na China caiu 1,2 por cento para 82,20 dólares por tonelada nesta quarta-feira, segundo dados do Steel Index, que disse que há poucos negócios, com vendedores em dificuldade para encontrar ofertas de compra.

Este é o menor preço do minério desde setembro de 2009, com perdas acumuladas de 39 por cento este ano.

Os investimentos em ferrovias na China nos primeiros oito meses de 2014 subiram 20 por cento, superando 405 bilhões de iuanes e está a caminho de atingir a meta do ano, disse a agência estatal Shanghai Securities News nesta quarta-feira.

Ainda assim, o crescimento da oferta de grandes mineradoras globais de baixo custo, incluindo a brasileira Vale, está ultrapassando a demanda chinesa, pressionando os preços do minério.

O presidente da Rio Tinto, segunda maior produtora de minério do mundo, Sam Walsh, disse esperar que outras mineradoras cortem 125 milhões de toneladas de capacidade anual de produção, em meio à queda nos preços.

O Goldman estima fechamento de 110 milhões de toneladas em capacidade de produção anual de minério ao redor do mundo em 2015, e mais 75 milhões em 2016.

"Pequenos fechamentos vão impactar produtores da China e do exterior da mesma forma, resultando em um gradual declínio da produção doméstica chinesa", disseram os analistas do Goldman.

O banco de investimentos manteve sua previsão para os preços do minério de ferro em 2015 a 80 dólares por tonelada, mas reduziu a estimativa de 2016 em 4 por cento para 79 dólares, e a projeção de 2017 em 8 por cento para 78 dólares.

(Por Manolo Serapio Jr.)