Integração de abatedouros da BRF à Minerva vai levar 9 meses, dizem executivos

quarta-feira, 10 de setembro de 2014 17:16 BRT
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO (Reuters) - O processo de integração das unidades de abate de bovinos da BRF adquiridas pela Minerva deverá demorar cerca de nove meses a partir de outubro, para quando está prevista a transferência de posse, disseram nesta quarta-feira executivos da Minerva.

A venda de ativos foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) no fim de agosto. O negócio prevê que duas unidades de bovinos da BRF em Mato Grosso passarão para a Minerva em troca da transferência de 15,2 por cento das ações da empresa para a BRF.

"Em nove meses a gente espera trazer as margens dessas operações para as margens do resto do Minerva. Obviamente as margens no início vão ser piores", disse o diretor financeiro da Minerva, Edison Ticle.

Em uma conversa com jornalistas em São Paulo, Ticle e o presidente da companhia, Fernando Queiroz, não revelaram valores da economia esperada com a sinergia entre as unidades, uma vez que os dados operacionais das unidades da BRF estão sendo conhecidos apenas agora.

"A utilização de capacidade da companhia deve cair. A gente assume plantas que não estão utilizando capacidade no mesmo nível que no Minerva, mas em 2 a 3 trimestres a gente traz as novas plantas para o mesmo nível do resto do Minerva", disse Ticle.

Atualmente, a utilização da capacidade instalada está entre 70 e 75 por cento, disse Queiroz, avaliando que é um dos melhores índices do setor no Brasil.

A Minerva anunciou o acordo com a BRF, maior exportadora de carne de frango do mundo, em novembro de 2013, envolvendo abatedouros em Várzea Grande e Mirassol D'Oeste.

  Continuação...