BNDES descarta financiar outorgas do 4G, mas pode entrar na limpeza de faixa

sexta-feira, 12 de setembro de 2014 20:03 BRT
 

Por Rodrigo Viga

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) não vai financiar as outorgas do leilão da faixa de 700 MHz da Internet móvel de quarta geração (4G), mas poderá financiar a limpeza de faixa, ponto considerado fundamental pelas operadoras interessadas no certame programado para o fim deste mês.

"Financiamento de outorga não está entre os itens financiáveis de acordo com as políticas do BNDES", informou o banco à Reuters.

Porém, uma fonte a para do assunto disse que a instituição poderá financiar custos do processo de liberação da faixa por parte dos radiodifusores analógicos, que serão pagos pelas operadoras vencedoras do leilão.

Segundo a fonte, as TVs provavelmente precisarão de novos equipamentos no processo de liberação e para se adaptar ao novo padrão tecnológico. O banco considera liberar recursos para a compra desses equipamentos, com a condição de que sejam produzidos no Brasil.

"Se (os equipamentos) forem nacionais (o banco) pode financiar", disse a fonte à Reuters. "O banco financiaria como parte dos investimentos das empresas de telefonia", adicionou.

O montante a ser disponibilizado para essa operação ainda estão sendo analisado.

O preço mínimo total das seis licenças no leilão é de 7,7 bilhões de reais. O edital prevê ainda desembolso adicional por outorgas de até cerca de 560 milhões de reais se as vencedoras já tiverem licença na frequência de 2,5 GHz, na qual o serviço 4G é atualmente prestado no Brasil.

Os custos da "limpeza" de faixa que serão pagos pelas vencedoras foram estimados em ao menos 3,6 bilhões de reais.   Continuação...