Chinesa Sinopec vende fatia de US$17,5 bi em unidade de varejo para investidores

domingo, 14 de setembro de 2014 16:28 BRT
 

HONG KONG/PEQUIM (Reuters) - A Sinopec Corp vai vender uma participação de 17,5 bilhões de dólares de sua unidade de varejo para um grupo de 25 investidores chineses e estrangeiros, afirmou a líder em refino de petróleo da Ásia neste domingo em comunicado.

A venda, a maior privatização do país desde que o presidente Xi Jinping chegou ao poder, vem com o governo da China buscando reestruturar suas empresas estatais, trazendo capital privado e expertise.

A unidade de marketing e distribuição da Sinopec, que inclui um negócio de atacado, tem mais de 30 mil postos de gasolina, mais de 23.000 lojas de conveniência, bem como dutos de derivados de petróleo e instalações de armazenamento.

O acordo vai aumentar o valor do negócio de baixa margem de lucro, fortalecer as finanças do grupo e reforçar a capacidade de investimento em exploração e produção.

Os principais investidores incluem um dos maiores gestores de ativos da China, o Harvest Fund Management, o Fosun Internacional e o fornecedor de gás da China ENN Energy Holdings Ltd.

A empresa asiática de private equity RRJ Capital, fundada pelo ex-Goldman Sachs e negociador da Hopu Investment Management Richard Ong, está entre os investidores estrangeiros no negócio.

O presidente da Sinopec, Fu Chengyu, disse anteriormente que os investidores deveriam trazer conhecimentos e ideias para melhorar as vendas de produtos que não são combustíveis em seus postos de gasolina.

Diferentemente do que acontece nos mercados ocidentais, onde os produtos que não são combustíveis --de lojas de conveniência, fast food ou lavagem do carro-- podem responder ​por mais de metade dos lucros de um posto de gasolina, mais de 99 por cento das vendas de varejo da Sinopec são de derivados de petróleo.

Nos últimos meses Sinopec assinou acordos com várias empresas chinesas buscando elevar as vendas de outros serviços em seus postos.

(Reportagem de Stephen Aldred em Hong Kong e Shen Yan e Benjamin Kang Lim em Pequim)