Nissan fará cortes em fábricas de baterias com menores esperanças sobre carro elétrico

segunda-feira, 15 de setembro de 2014 09:35 BRT
 

Por Laurence Frost

PARIS (Reuters) - O chefe da Nissan, Carlos Ghosn, está se preparando para cortar a fabricação de baterias da empresa, disseram pessoas familiarizadas com o assunto, em um novo revés para carros elétricos que reabriu profundas discordâncias com a parceira de aliança Renault.

O plano, que enfrenta forte resistência dentro da montadora japonesa, contempla a progressiva eliminação da produção nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha, além de uma redução da produção de baterias de última geração concentrada em sua fábrica nacional, disseram duas fontes da aliança à Reuters.

"Nós nos preparamos para ser um líder na fabricação de baterias, mas acabou sendo menos competitivo do que gostaríamos", disse um executivo sob condição de anonimato. "Nós ainda estamos entre seis meses e um ano atrás da LG em termos de preço-desempenho."

A decisão sobre as fábricas de baterias da Nissan em Sunderland, Inglaterra e Smyrna, Tennessee, deve ocorrer no próximo mês, disseram as fontes, após uma revisão tensa de contratos com a acionista Renault.

A Renault-Nissan "continua 100 por cento comprometida com seu programa de veículos elétricos líder de mercado" e não tem planos de deixar os investimentos em bateria, disse a porta-voz Rachel Konrad.

"Nós não tomamos qualquer decisão de modificar a alocação do fornecimento de baterias", disse Konrad, acrescentando que a aliança "não confirma ou nega" comentários.

Mas a Nissan já está negociando com a parceira de fabricação NEC Corp sobre a mudança para um fornecimento duplo, com o apoio de Ghosn, disseram as fontes. A Nissan atualmente faz todas as suas baterias de carros elétricos.

Uma opção a ser explorada faria a LG, que fornece alguns modelos para a Renault, investir em produção própria de baterias em uma das fábricas da Nissan no exterior enquanto a montadora suspende operações nos locais.

A aliança também está em negociações com a LG sobre um acordo para fornecimento de baterias para futuros modelos elétricos da Renault e da Nissan na China, disse uma das fontes.

NEC e LG se recusaram a comentar.