Vendas de imóveis novos em São Paulo caem 31,3% em julho ante junho

segunda-feira, 15 de setembro de 2014 15:16 BRT
 

(Reuters) - As vendas de imóveis novos residenciais na cidade de São Paulo caíram 31,3 por cento em julho em relação a junho, para 736 unidades, informou o sindicato da habitação local, Secovi-SP, nesta segunda-feira.

O valor geral de vendas (VGV) do total comercializado atingiu 378 milhões de reais, recuo de 31,5 por cento sobre o mês anterior.

No acumulado do ano até julho, as vendas diminuíram 48,9 por cento, a 9.790 unidades. No período, o VGV foi de 5,7 bilhões de reais, queda de 54,2 por cento sobre 2013.

Segundo o Secovi, julho é tradicionalmente um mês de movimento fraco para o mercado imobiliário. Também pressionaram os resultados os baixos índices de confiança do consumidor e dos empresários, e incertezas quanto ao futuro da economia e do próximo governo, disse a instituição.

"Esses fatores, aliados aos reflexos da Copa do Mundo, contribuem para explicar o comportamento do mercado de lançamentos e vendas de imóveis residenciais na cidade de São Paulo", acrescentou.

Os lançamentos no sétimo mês do ano caíram 59,7 por cento em relação a junho, para 973 unidades, de acordo com dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp).

Das 736 unidades comercializadas em julho, 537 se encontravam na fase de lançamento, ou seja, 73 por cento dos imóveis vendidos no mês tinham até seis meses de oferta.

De janeiro a julho de 2014, a cidade registrou o lançamento de 12.333 unidades, redução de 21,5 por cento sobre 2013.

(Por Juliana Schincariol, no Rio de Janeiro; Edição de Luciana Bruno)