Alibaba está posicionado para precificar IPO em meio à frenesi de investidores

quinta-feira, 18 de setembro de 2014 10:17 BRT
 

18 Set (Reuters) - O gigante chinês de comércio eletrônico Alibaba Group está posicionado para vender cerca de 22 bilhões de dólares em ações nesta quinta-feira, coroando duas semanas de apresentações do IPO que atraíram o frenético interesse de investidores em todo o mundo e no que pode ser a maior oferta pública inicial de ações já feita.

As ações devem ser precificadas após o fechamento dos mercados nesta quinta-feira, às 17h do horário de Brasília, iniciando a negociação na Bolsa de Nova York na sexta-feira sob o código "BABA".

Os investidores, interessados no rápido crescimento da China e na evolução do setor de Internet, têm clamado por ações da companhia desde que executivos do alto escalão do Alibaba, incluindo o co-fundador e presidente-executivo do Conselho Jack Ma, iniciaram as apresentações na semana passada.

O Alibaba, que responde por mais transações do que a Amazon.com e eBay combinados, elevou a faixa de preço do IPO para entre 66 a 68 dólares por ação devido à forte demanda.

No máximo dessa faixa de preço, o IPO levantaria quase 22 bilhões de dólares, mas se os subscritores exercerem a opção de vender mais ações, a estreia no mercado do Alibaba superará a listagem do Banco Agrícola da China em 2010, de 22,1 bilhões de dólares.

"Acreditamos que a faixa atual de preço de 66 a 68 dólares subestima significativamente o potencial de crescimento de longo prazo da empresa", disse o analista Neil Doshi, da CRT Capital, em nota da equipe de análise em que iniciou a cobertura das ações com uma recomendação de "compra".

Nos 15 anos desde que Ma fundou a empresa em seu apartamento de um quarto, o Alibaba tornou-se responsável por quatro quintos de todo o comércio online realizado na China, a segunda maior economia do mundo. A empresa também se ramificou em áreas como pagamentos eletrônicos e investimento financeiro.

A complexa estrutura de governança do Alibaba e os investimentos externos de Ma levantaram questões sobre potenciais conflitos de interesse e sobre a capacidade dos investidores de influenciar a estratégia do Alibaba.

A empresa decidiu listar suas ações em Nova York depois de representantes da bolsa de Hong Kong terem rejeitado seu pedido para permitir que um pequeno grupo de membros da companhia nomeasse a maioria do Conselho. A Hong Kong Exchanges e Clearing, que opera a bolsa, tem uma política contra empresas com múltiplas classes de ações com diferentes direitos de voto, mas agora está considerando o afrouxamento dessas regras.

O Alibaba planeja expandir seus negócios nos Estados Unidos e na Europa após o negócio. Mas nos Estados Unidos, pelo menos, a companhia não é amplamente conhecida: uma pesquisa da Ipsos constatou que 88 por cento dos norte-americanos não tinham ouvido falar da empresa.

(Por Deepa Seetharaman)