Secretário do Tesouro dos EUA pede que zona do euro e Japão façam mais por crescimento

sexta-feira, 19 de setembro de 2014 07:46 BRT
 

CAIRNS Austrália (Reuters) - O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Jack Lew, pediu nesta sexta-feira que a zona do euro e o Japão façam mais para estimular o crescimento uma vez que a economia global continua a desapontar, destacando o que é tido como um pomo de discórdia na reunião do G20 na Austrália.

Enquanto enaltecia a força da economia norte-americana, Lew disse que mais trabalho é necessário para alcançar um crescimento econômico mais rápido e equilibrado e para impulsionar a demanda.

"Os Estados Unidos continuam a ser uma fonte de força na economia global", disse Lew em declarações com seu colega australiano, Joe Hockey.

"Mas no geral, a economia global continua a ter desempenho inferior. Isso é particularmente verdade na zona do euro e no Japão, enquanto uma série de economias de mercados emergentes também estão desacelerando", disse Lew no início da reunião do G20 de ministros das Finanças e autoridades de bancos centrais na cidade australiano de Cairns.

Seu pedido deve ter uma recepção fria dos europeus. Falando durante uma parada em Hong Kong, o ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schauble, afirmou que a economia de seu país é robusta e que é importante para a Europa manter-se no duro caminho da reforma fiscal.

Os EUA e outras autoridades do G20 já haviam demonstrado preocupações com o fraco crescimento econômico da Europa e querem que a Alemanha faça mais para ajudar seus vizinhos gastando e importando mais.

Lew também disse ao ministro das Finanças japonês, Taro Aso, que Tóquio tem que continuar comprometida em calibrar os três "tripés" de sua política econômica para manter o crescimento doméstico saudável, de acordo com uma autoriade do Tesouro dos EUA na reunião.

A declaração foi dada em meio a temores de que o plano do primeiro-ministro, Shinzo Abe, de gerar uma retomada através de forte afrouxamento monetário, gastos e refomas parece estar vacilando frente à fraqueza da demanda do consumidor e das exportações.

Mas Aso contestou a visão de que o Japão, como a zona do euro, é visto como potencial peso sobre o crescimento global.

(Por Lincoln Feast e Leika Kihara)

 
Foto de arquivo do secretário do Tesouro dos EUA, Jack Lew, em comitê do Senado. 25/06/2014 REUTERS/Jonathan Ernst/Files