Mega projeto de gás da Rússia torna-se símbolo de desafio a sanções

sexta-feira, 19 de setembro de 2014 12:32 BRT
 

Por Katya Golubkova e Dmitry Zhdannikov

MOSCOU (Reuters) - Dezenas de empreendimentos energéticos russos estão em perigo devido às sanções ocidentais sobre tecnologia e financiamento. Pairando sobre todos eles, um projeto gigante que o Kremlin precisa salvar, não importa como.

O plano de Yamal, um investimento de 27 bilhões de dólares para explorar as vastas reservas de gás natural no noroeste da Sibéria, pretende dobrar a participação da Rússia no mercado de rápido crescimento de gás natural liquefeito. Se o projeto se sustentar, irá mostrar ao Ocidente que a maior indústria de energia do mundo não está rachando sob as sanções.

A Rússia disse que vai se certificar de que Yamal tem os recursos necessários para se manter em construção. Mas essa promessa será testada: o gás de Yamal é tão distante no norte do Ártico que requer tecnologia especializada muitas vezes fornecidas pelos parceiros ocidentais - muitos dos quais não serão capazes de operar por causa das restrições.

E, enquanto os acionistas da Yamal já investiram 6 bilhões de dólares no projeto, ações dos Estados Unidos e da União Europeia cortaram efetivamente até agora o acesso da empresa de energia russa a empréstimos ocidentais.

No entanto, os banqueiros e analistas que retornaram de uma viagem recente a Yamal disseram que estavam impressionados com o status do projeto.

Alguns diziam que era difícil definir se o acionista controlador da Yamal, a empresa de gás Novatek, e seu co-proprietário bilionário Gennady Timchenko estavam sujeitos a algumas das sanções mais severas dos Estados Unidos e da União Europeia que visam Vladimir Putin, depois que a Rússia anexou a Crimeia, da Ucrânia, e emprestou apoio para os separatistas pró-Rússia.

"Fiquei surpreso com o ritmo e a quantidade de trabalho que já foi realizado", disse Maxim Moshkov, analista de petróleo do UBS.

Cerca de 6 mil pessoas estão atualmente trabalhando no projeto e o número vai subir para 15 mil no próximo ano.   Continuação...