Primeiro-ministro italiano se encontra com trabalhadores de unidade da ThyssenKrupp

domingo, 26 de outubro de 2014 09:06 BRST
 

FLORENÇA Itália (Reuters) - O primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, se reuniu neste domingo com trabalhadores em uma fábrica de aço inoxidável na Itália do grupo industrial alemão ThyssenKrupp, onde 550 postos de trabalho deverão ser cortados.

Um dia antes, cerca de um milhão de pessoas participaram de uma manifestação em Roma para protestar contra os planos de reforma trabalhista de Renzi, que buscam tornar mais fácil contratar e demitir.

Cerca de 70 trabalhadores da deficitária unidade Acciai Speciali Terni (AST), no centro da Itália, faziam manifestação do lado de fora de uma reunião em Florença, onde Renzi se encontrou com cinco trabalhadores.

A ThyssenKrupp, que está tentando vender a AST e sair do negócio de aço inoxidável, disse mais cedo neste mês que havia iniciado os procedimentos para cortar postos após as negociações entre os sindicatos e a empresa terem falhado.

Um representante dos trabalhadores, que estão em greve para persuadir a ThyssenKrupp a mudar seu plano industrial, disse que Renzi se comprometeu pessoalmente no domingo a ajudar as partes a chegarem a uma solução rapidamente.

Representantes da ThyssenKrupp devem se reunir com a ministro da Economia, Federica Guidi, na quarta-feira para discutir sobre a Terni, importante empregadora na região de Umbria, que mudou de mãos duas vezes nos últimos quatro anos.

(Por Silvia Ognibene)