Mantega diz que governo buscará maior esforço fiscal em 2015 e nos anos seguintes

segunda-feira, 27 de outubro de 2014 14:26 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta segunda-feira que o governo fará a melhor meta fiscal possível este ano e buscará um esforço maior em 2015, afirmando ainda que a política macroeconômica do governo da presidente reeleita Dilma Rousseff (PT) será mantida e reforçada.

"Em 2014, vamos nos empenhar para fazer a melhor meta possível de fiscal e já temos que olhar para o próximo ano (...) Temos que fazer um esforço fiscal maior no próximo ano e manter assim para os próximos."

O governo enfrenta grande dificuldade em cumprir a meta de superávit primário de 99 bilhões de reais deste ano, equivalente a 1,9 por cento do Produto Interno Bruto (PIB). De janeiro a agosto, a economia para o pagamento de juros da dívida pública ficou em apenas 0,94 por cento do PIB, evidenciando a dificuldade do governo em cumprir o alvo.

No dia seguinte à eleição presidencial, Mantega buscou reforçar o compromisso do governo petista com o tripé macroeconômico composto por superávit primário, meta de inflação e câmbio flutuante.

Ao mencionar esse compromisso, o ministro que vai deixar o governo foi indagado sobre qual nome para ocupar a Fazenda reuniria as credenciais capazes de ajudar a recuperar a confiança de empresários e investidores na economia brasileira.

"Essa pergunta tem que ser feita à presidente. Na verdade estou aqui apresentando as políticas, porque para além dos nomes existem as políticas", disse Mantega.

"A prioridade significa fortalecer os fundamentos fiscais, manter um bom resultado fiscal para que a dívida pública fique sob controle (...) A prioridade de manter a inflação sob controle, o compromisso de continuar gerando empregos e, portanto, manter o mercado interno em expansão."

Ele disse que a área econômica trabalha com uma agenda de medidas destinadas a melhorar a atividade econômica, mas não entrou em detalhes sobre o que será feito, restringindo-se a dizer que há muito a ser feito até o término do ano.

Dilma foi reeleita no domingo com 51,6 por cento dos votos válidos, contra 48,4 por cento do candidato Aécio Neves (PSDB).   Continuação...

 
Ministro da Fazenda, Guido Mantega. REUTERS/Chico Ferreira (BRAZIL - Tags: BUSINESS POLITICS ELECTIONS)