Chuvas permitem retomada do plantio de soja no Brasil, dizem consultorias

segunda-feira, 27 de outubro de 2014 16:40 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - As chuvas da semana passada permitiram a melhora no ritmo de plantio de soja no Brasil, após um período de quase paralisação, que provocou atrasos na comparação com anos anteriores, disseram consultorias nesta segunda-feira.

A Safras & Mercado disse que 12,5 por cento da área total prevista havia sido semeada até 24 de outubro, ante um índice de 7,3 por cento uma semana antes. Na mesma época do ano passado, o plantio já havia sido realizado em 26 por cento da área. A média histórica para o período é de 31 por cento.

"Apesar não ter havido registro de grandes volumes, os níveis das precipitações e a previsão de novas chuvas para os próximos dias foi suficiente para encorajar parte dos agricultores a retomarem os trabalhos de semeadura na faixa central do país", disse o analista da Safra, Luiz Fernando Roque, em nota.

Com a retomada do plantio, a colheita de soja não deve sofrer prejuízos expressivos na produtividade. Mas o atraso anterior poderá reduzir a janela de clima ideal para a semeadura do milho segunda safra, especialmente no Centro-Oeste.

A AgRural apontou que o plantio até a última sexta-feira havia alcançado 16 por cento da área, ante 10 por cento uma semana antes e 34 por cento no mesmo período de 2013.

"Produtores que semearam sem chuva e que agora precisam replantar parte de suas lavouras dizem que só vão retomar os trabalhos quando houver mais regularidade nas precipitações", destacou a consultoria, em um relatório semanal.

A Clarivi disse que o plantio no centro-sul do Brasil alcança 19,5 por cento da área prevista, contra 12,12 por cento uma semana antes e 30,3 por cento em 24 de outubro de 2013.

A Somar Meteorologia disse nesta segunda-feira que uma frente fria está posicionada no norte da região Sudeste e organiza uma faixa de nuvens e chuvas que avançam pelo interior até a região Norte, incluindo o cinturão de grãos do Centro-Oeste. Há previsão de chuvas até quarta-feira.

(Por Gustavo Bonato)