BG tem queda maior que esperada no lucro, diz que projetos no Brasil progridem bem

terça-feira, 28 de outubro de 2014 07:17 BRST
 

LONDRES (Reuters) - A BG Group, terceira maior empresa de energia da Grã-Bretanha, registrou uma queda pior que a esperada de 26 por cento no lucro operacional do terceiro trimestre, diante de um declínio contínuo da produção no Egito e uma queda acentuada nos preços do petróleo.

As companhias de petróleo têm visto bilhões de dólares varridos de seus valores de mercado nas últimas semanas, na esteira de uma queda de 25 por cento nos preços do petróleo nos últimos quatro meses devido à desaceleração da demanda global, particularmente na China, e à existência de muitos fornecedores.

O lucro operacional total da BG chegou a 1,3 bilhão de dólares no terceiro trimestre, abaixo do consenso de 1,4 bilhão de dólares divulgado pela empresa, já que sua produção no Egito caiu pela metade na comparação anual, para 55.000 barris de óleo equivalente por dia (boepd) devido ao esgotamento do seu reservatório.

No terceiro trimestre, a BG vendeu seu petróleo a uma média de 104 dólares por barril, abaixo dos 112 dólares do ano anterior, enquanto o preço médio do gás do Reino Unido caiu 17 por cento.

A produtora de petróleo e gás começou, no entanto, a colher os frutos de projetos caros no Brasil e na Austrália.

A receita no terceiro trimestre da BG subiu 4 por cento, para 4,6 bilhões de dólares, conforme a produção de petróleo no Brasil subiu para mais de 100 mil barris de óleo equivalente por dia.

A perspectiva positiva com os projetos no Brasil e na Austrália fez com que o grupo reiterasse sua perspectiva de produção para o ano inteiro na extremidade inferior da faixa de 590.000 a 630.000 boepd.

"Nossos desenvolvimentos no Brasil e na Austrália estão progredindo bem e, no caso do Brasil, começando a ter um impacto significativo em nossos negócios", disse o presidente-executivo interino da BG Group, Andrew Gould.

(Por Karolin Schaps)